Sábado, 3 de Agosto de 2013

A casa

 

Foto: José Cadaveira

 

 

 

 

Levei-te pela mão através do emaranhado de arbustos, silvas e mato!

 

Por um caminho que já não era caminho!

 

Seguias-me em silêncio, mas não totalmente descansado.

 

As silvas prendiam-se no meu vestido leve e por vezes faziam-me pequenos cortes na carne, mas eu seguia indiferente a tudo aquilo.

 

Embora o dia estivesse muito quente ali quase não entrava o sol!

 

Tu sentias um certo desconforto, mas não sabias se seria da semi-sombra ou do meu silêncio!

 

Andámos durante cerca de meia hora, sempre em silêncio...

 

Lá bem ao fundo começava a ver-se o sol, notava-se o brilho e até se começava a ouvir o canto dos pássaros!

 

Finalmente uma clareira e ela lá estava!

 

Imponente como sempre fora, altiva, com aquele ar meio ameaçador meio romântico!

 

Nem mesmo o passar do tempo, o abandono, a ruína, a desgraça ou o caos lhe tiraram a imponência!

 

Quando se tem, tem-se!

 

Seja gente ou não!

 

E a Casa lá estava, tal como me lembrava em criança.

 

As janelas mantinham quase todos os vidros e as portas muito velhas ainda lá estavam.

 

Sempre metera respeito, respeito e medo!

 

Talvez por isso nunca fora vandalizada, o medo impõe respeito!

 

Por vezes é triste pensar que é assim, mas por outro lado ainda bem que assim é.

 

Não iria suportar vê-la vandalizada, bestializada, por quem nunca a entendera, por quem não lhe entendera a “alma”!

 

Sim pois para mim as casa têm “alma” têm estória, segredos, guardam sonhos e pesadelos de vidas inteiras...

 

Entramos, parei no hall, o chão de mármore em losangos pretos e brancos, alguns rachados, a alta escadaria com o corrimão de latão, que me recordo ser limpo com “solarina”,  produto que nem sei se ainda existe...

 

Os tectos com um pé direito enorme, com o gancho de onde pendia um enorme lustre que descia para ser limpo, segundo me lembro, no meu tempo já tinha uma roldana no sótão, mas não sei se terá sido sempre assim!

 

As marcas dos quadros ainda se notavam nas paredes, o relógio de pé Inglês que tinha a lua de um lado e o Sol do outro, ficava do lado esquerdo ao lado da porta da sala de jantar!

 

Se fechasse os olhos ainda o conseguia ouvir...

 

Na sala de jantar consigo "ver" o sideboard, a longa mesa de pés de talha com o tampo de granito polido com uma ponta partida, o espelho de talha dourada,a carpete oriental negra e beije, o lustre com alguns cristais coloridos....

 

As empregadas com fardas negras de setim, "crista" e colarinho (com goma) avental de renda branca engomado e luvas brancas, sapato de verniz preto de salto raso. Isto nos jantares de festa, de resto as fardas até que tinham cores alegres!

 

Fui até à escada que dava para a cozinha e zona dos empregados!

 

O velho fogão a lenha ainda lá estava, já quase não se usava no meu tempo de criança, mas nunca fora deitado fora.

 

Perto dele estava aquela coisa que nunca soube o nome mas que aquecia a água para todos os aquecimentos da casa. Esses aquecimentos eram uns aparelhos em metal com uma "rodinha" e que se encontravam espalhados pelas divisões da casa. Como eram feiosos foram disfarsados, lembro-me de uns terem uma pedra mármore e tranças de veludo até ao chão outros pareciam armários...

 

Os grandes lava louças de mármore, os armários de madeira enormes com portas de vidro, madeira, rede.

 

As enormes bancas corridas. Agora, embora a cozinha fosse grande, não me parecia tão grande!


 
A despensa,  que estava sempre cheia de coisas boas....

 

Dentro da chaminé ainda se via o ferro onde se pendurava o “fumeiro”.

 

O gato sentado ao lado, sim o gato podia entrar na cozinha!

 

As portas de madeira que um dia foram brancas abriam-se agora, fora dos gonzos deixando ver uns campos que outrora foram culturas e do lado direito os canis, agora vazios, abandonados.

 

Do lado esquerdo o jardim sem relva as escadas para o grande tanque que fora transformado numa piscina, vejo a fonte com o peixe que um dia deitou água e ainda se podem ver nas paredes os azulejos azuis que brancos que forravam parte delas.

 

Recordo-me dos buxos bem aparados para onde eu me divertia a saltar... Para desespero do pobre jardineiro!

 

Mais uma vez, fecho os olhos e ouço o meu riso, os passos, sinto os cheiros...

 

E estou nisto quando oiço um:


 
- Aiiii, tás a magoar-me!!!!!

 

Olho para trás e vejo-te, estás com ar meio dorido meio assustado, esquecera-me completamente de ti!

 

- Desculpa mas perdi-me completamente no passado! Não te queria apertar a mão com força e muito menos espetar-te as unhas...

 

- Olha, vamos ao meu antigo quarto!

 

Mais uma vez nem o deixo responder, agarro nele e subo as escadas a correr!

 

Chegados ao hall, digo-lhe!

 

- Sobe, continua a subir o meu quarto era na mansarda!

 

E fujo-lhe.

 

Ele aflito grita-me:

 

- Vai devagar a casa é velha, pode estar podre ainda te magoas, aliás, ainda morremos aqui os dois!

 

Eu entre gargalhadas grito-lhe!

 

- Esta casa NUNCA ME FARÁ MAL, nunca! E NEM A TI pois estás COMIGO e ELA SABE que EU GOSTO DE TI!

 

E subimos até eu parar numa porta é o meu quarto.

 

Ali estava a minha pequena cama, no canto a senhorinha de cor verde, odeio verde, o pequeno toucador ficava perto da janela, o espelho era preso na parede, ainda lá está, já quase sem o espelhado.

 

Páro em frente a ele, fico mais em “negro” do que em "espelho"!

 

As lágrimas começam teimosamente a querer saltar, aquele espelho é em parte a minha vida!

 

Ele chega por detrás de mim e pára a olhar por de cima da minha cabeça!

 

A imagem do rosto dele é completamente nítida no espelho velho!

 

Ele diz:

 

- Anda cá, não vês que o espelho é maior do que aquilo que a tua vista alcança?!


 
E com ternura pega em mim e fazemos amor no meio de todo aquele pó que até aqui era o meu pó, o meu passado e a partir de agora passa a ser o nosso pó o nosso futuro o nosso destino.

 


E mais uma vez a casa acolheu-me, abraçou-me e amou a quem eu gosto!

 

 

 

 

 

Bichanado por: Luar às 12:33
link do post | Miar ou Rosnar: | favorito
| | partilhar
4 comentários:
De RenaDoida a 4 de Agosto de 2013 às 13:09
Confesso que começava a estar preocupado...

Welcome back ! :) **
De Luar a 13 de Agosto de 2013 às 14:25
Não é um regresso, foi um teste! Nada me consegue fazer regressara....não merece a pena....
De Os Medrosos: a 13 de Agosto de 2013 às 21:02
Boa sorte por onde andares.

Inté :)

De Luar a 17 de Agosto de 2013 às 16:48
Obrigada anónimo, preciso mesmo dela!

Comentar post

*tradutor / translater

Pode ser uma praia de águas turquesas peixes coloridos e luares românticos ou uma praia rochosa com altas escarpas, água cor de chumbo e céus rasgados pelos ventos e pelos raios.....

Se vieres na positiva (triste ou alegre), entra, descalça-te sente os cheiros e conversa! Se vens na negativa (mau ou mesquinho), nem te descalces que me sujas a areia....

Partido Pelos Animais

*Bisbilhutar:

 

*Posts recentes

* Falta de profissionalismo

* Vários tipos de Amigas

* O que nunca te disse!

* São apenas objectos...

* O máximo!!!

* Rena Doida

* Cruz Credo!!!!

* A casa

* Dia da Mãe

* Novidades...

*arquivos

* Novembro 2015

* Outubro 2015

* Outubro 2014

* Abril 2014

* Outubro 2013

* Agosto 2013

* Maio 2012

* Fevereiro 2012

* Janeiro 2012

* Novembro 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

* Setembro 2006

* Agosto 2006

* Julho 2006

* Junho 2006

* Maio 2006

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

* Dezembro 2005

* Novembro 2005

* Outubro 2005

* Setembro 2005

* Agosto 2005

* Julho 2005

* Junho 2005

* Maio 2005

* Abril 2005

* Março 2005

* Fevereiro 2005

* Janeiro 2005

* Dezembro 2004

* Novembro 2004

*tags

* todas as tags

*links

View a_Luar's profile on slideshare
Partido Pelos Animais
flashvars="r=2&appId=1eeef5cd-d72f-487a-a611-ebff4263be90" >

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                               

blogs SAPO

*subscrever feeds