Terça-feira, 21 de Outubro de 2014

São apenas objectos...

578537_367624666608416_159666184070933_1004641_158

  Foto retirada da net, não sei o autor.

 

 

Grande parte das pessoas não entende o "apego" a um simples objecto que pode até não ter valor, eu sou muito ligada a toda a "minha tralha", tralha que vem da minha trisavó, da minha infância, dos meus colegas de trabalho, viagens, filha e netos ou apenas um mero objecto que alguém me deu ou que tem uma história.

Na minha tralha, espalhada pelas paredes, armários e vitrines estão objectos que contam histórias, pequenos apontamentos do meu passado, da minha vida, da vida dos que me são importantes, até podem ser os prémios da gata, os post it que me deixaram no carro há mais de 20 anos, versos de um cravo de manjerico, versos num maço de tabaco, um bilhete de cinema, comboio ou mesmo uma rolha, os meus livros e bonecos de criança, tudo tem história, tudo me conforta quando me sinto perdida, desiludida, ou apenas a perder o rumo...

Neles está a minha infância, o que não me lembro é compensado por simples objectos como uma velha lata de bolachas de lata amarela que me lembra Luanda, os livros que li e que mais tarde li à minha filha e neta, são 3 gerações de memórias.

"Não devemos ficar agarrados ao passado", pois não, mas isso não impede que tenhamos um passado, que tenhamos recordações, uma música, um lugar, um cheiro ou a penas uma palavra, recordar é bom, e uma mulher sem passado é um ser vazio. Das más recordações felizmente só tenho memórias, afastei todos os objectos que me recordavam a dor, os momentos mais complicados, mas infelizmente já tive que me desfazer de várias coisas, com elas vai sempre um bocadinho de mim, do meu passado, ficam-me os cheiros e as imagens que essas ninguém mas tira, não são vendáveis, são só minhas e das pessoas com quem as partilho.

Costuma-se dizer que a vida dá muitas voltas, se dá, cada volta é para pior e chega-se a uma certa idade e passou, ninguém deu valor ao nosso trabalho, dedicação, apenas por poderem viram-nos as vidas do avesso, pegam em nós como de marionetas se tratassem e movimentam-nas a seu belo prazer ou então atiram-nas para um canto, onde ficam desengonçadas, tristes, sem alma a apanhar pó e ver a vida passar...

Falo muito, escrevo muito, tenho o coração ao pé da boca, mas sou verdadeira e como estas Luas são minhas, escrevo o que me apetece, o que me vai na alma, este lugar já foi o meu refúgio várias vezes e cada vez acho mais que é preferível alunar que desabafar com os outros.

Na esperança que as minhas coisas tenham ido parar a boas mãos e que a minha bisavó, avó e mãe não estejam muito zangadas, dou por finda este relambório de mágoas.

 

Como diria o outro: É favor de serem felizes!

 

 

 

Luar

 

Se tem erros é problema meu, ninguém mos paga....

 

Bichanado por: Luar às 14:09
link do post | Miar ou Rosnar: | ver comentários (2) | favorito
| | partilhar
Quinta-feira, 19 de Maio de 2011

Divagações de uma (quase) Louca...

 

foto: retirada da net

 

 

 

Hoje não foi um dia particularmente bom para mim, alias, já ontem não foi!

 

Caí na asneira, sim, foi uma asneira enorme, de me "associar" aos Grupos do Facebook de antigas Escolas/Colégios em que andei, comecei muito animada, escrevi o meu nome e o nome pelo qual poderia ser conhecida e fiquei a ver as fotos os nomes, enquanto puxava pela memória as recordações guardadas,  para chegar à conclusão que afinal, não tenho quase recordações, não tenho memórias....

 

De alguns deles nem sei bem em que anos lá andei, não tenho fotos, não tenho pastas com desenhos, programas, notas, nada, acho que ninguém se lembra de mim...

 

A minha mãe mudou-me tanta vez de Colégio, assim como de casa, que eu não criei raízes, não guardei nada na memória, nem os outros guardaram de mim, e ela, deitou fora o meu passado, como o fez com tantas outras coisas minhas, sempre que se irritava comigo por eu não ser o que ela queria que eu fosse...

 

Hoje, com mais de 50 anos olho para trás e acho que a Vida passou por mim e eu por ela sem olharmos uma para a outra, pelo menos até certa altura!

 

Tirou-me do colégio interno onde eu adorava estar para me obrigar a ir tirar um curso que eu odiava, mas gostava da Escola, infelizmente com o 25 de Abril fecharam-na e acabaram com o curso, hoje no Centro de Emprego o Senhor diz-me que quando muito terei o 6º ano", e que todos os cursos que tirei no meu antigo emprego através no INA, "são lixo"!!!

 

Mas voltando atrás, não sei o que sentem as outras pessoas, mas eu ouço as minhas Irmãs falarem dos tempos do colégio, das colegas das brincadeiras, elas têm coisas guardadas, gosto muito de as ouvir recordar!

 

Eu lembro-me de pouco ou nada, algumas coisas sei pois elas contaram-me. Acho que andei sempre aos "saltos" de África para Lisboa e depois cá foi um corrupio de Colégios/Escolas/Casas/Hotéis...

 

foto: retirada da net

 

 

Não conheci bem o meu pai, não sabia que podia ter escolhido ir viver com ele aos 12 anos, ninguém me disse... ele vivia em Luanda vinha cá 2 vezes por anos mais ao menos, era sempre um inferno para que a minha mãe me deixasse estar com ele, passar férias com ele, então, nem pensar.... Para meu grande desgosto e falta de sorte ele morre de repente quando eu tinha 15 anos, eu nem sabia que ele estava internado, ele quis falar comigo e morreu a pensar que eu não lhe ligava nenhuma.... Ninguém me avisou, mais uma vez a Vida me passou a perna e eu caí!

 

Anos mais tarde, depois de muita psiquiatria, aprendi uma coisa sobre o meu pai, uma coisa que me custou muito... A minha mãe seria maluca, desequilibrada, ciumenta e até má em certas coisas, mas o meu pai, era comodista, só para não ter que a "ouvir", que a aturar, ele nunca lutou por mim, nunca exigiu os seus direitos de Pai, ele conhecia-a e deixou-me entregue nas mão dela, coisa que o Pai das minhas Irmãs não fez, esse preocupou-se com elas, foi Pai!

 

Afinal o que fui eu para aqueles dois? Para ela, fui uma forma de se afirmar como mulher, de fazer pirraça e de mostrar que aos quarentas e já com filhas adultas ainda era jovem para ter filhos... Para ele fui a filha que ele queria, acredito que gostasse de mim, mas nunca teve força para enfrentar a minha mãe, para lhe dizer NÃO!

 

A minha Vida começou depois da minha Filha nascer e de eu me separar do Pai dela, mas custa-me pensar que perdi grande parte da infância dela, a trabalhar duramente, embora com gosto, só o pude fazer com a ajuda das minhas Irmãs, principalmente de uma, pois nós tínhamos 12 Concertos por mês pelo país fora, quando eram em Lisboa chegava tarde e acordava cedo, mais tarde mudei para outra Orquestra, onde também trabalhei muito e fazia o que gostava e sabia fazer, até um dia vir novamente alguém para me destruir a Vida!

 

Dessa foi de vez, só posso ficar grata pelo que me fizeram, pela injustiça com que me trataram, é o que acontece a quem não "lambe botas", mas nunca lambi, nem hei-de lamber, por isso estou na situação em que estou.

 

A única coisa que me deixa em paz é saber que no dia em que eu desaparecer, certas pessoas vão recordar-se de mim para a vida inteira, por bons e por maus motivos!!!

 

 

Só mais uma coisa: Eu deixei de ser "POSTO DE INFORMAÇÕES" não sabem?! Soubessem, adivinhem, são todos competentes menos aqui a idiota, por isso descubram!!!!

 

 

 

 

 

 Foto: retirada da net

 

 

 

 

Luar  

Bichanado por: Luar às 20:35
link do post | Miar ou Rosnar: | ver comentários (2) | favorito
| | partilhar

*tradutor / translater

Pode ser uma praia de águas turquesas peixes coloridos e luares românticos ou uma praia rochosa com altas escarpas, água cor de chumbo e céus rasgados pelos ventos e pelos raios.....

Se vieres na positiva (triste ou alegre), entra, descalça-te sente os cheiros e conversa! Se vens na negativa (mau ou mesquinho), nem te descalces que me sujas a areia....

Partido Pelos Animais

*Bisbilhutar:

 

*Posts recentes

* São apenas objectos...

* Divagações de uma (quase)...

*arquivos

* Novembro 2015

* Outubro 2015

* Outubro 2014

* Abril 2014

* Outubro 2013

* Agosto 2013

* Maio 2012

* Fevereiro 2012

* Janeiro 2012

* Novembro 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

* Outubro 2006

* Setembro 2006

* Agosto 2006

* Julho 2006

* Junho 2006

* Maio 2006

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

* Dezembro 2005

* Novembro 2005

* Outubro 2005

* Setembro 2005

* Agosto 2005

* Julho 2005

* Junho 2005

* Maio 2005

* Abril 2005

* Março 2005

* Fevereiro 2005

* Janeiro 2005

* Dezembro 2004

* Novembro 2004

*tags

* todas as tags

*links

View a_Luar's profile on slideshare
Partido Pelos Animais
flashvars="r=2&appId=1eeef5cd-d72f-487a-a611-ebff4263be90" >

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                               

blogs SAPO

*subscrever feeds